A IMAGEM DOS HUMANOS EM DIAGRAMAS

Ilustrações que conseguiram representar os seres humanos e a vida

Leia Mais

DA VINCI E O HOMEM NO CENTRO DO UNIVERSO

O diagrama elaborado pelo gênio italiano mudou a forma de o ser humano se ver

A DUPLA HÉLICE

A representação abstrata que explicou um dos grandes mistérios da vida

BIOLOGIA MATEMÁTICA

O DNA e o Homem Vitruviano

Dois diagramas, dois desenhos separados por cerca de 500 anos de história mas que, cada um em seu tempo, representaram os seres humanos tão bem que se tornaram ícones culturais e são reconhecidos em qualquer lugar.

Leia Mais

O documentário conta a história de dois diagramas que conseguiram a difícil tarefa de representar os seres humanos e a vida. Tanto o Homem Vitruviano quanto a dupla hélice do DNA mudaram a forma como vemos e entendemos a humanidade e a criação da vida. São imagens simples, sem muitos elementos, que foram além dos seus objetivos estéticos e

científicos e ficaram famosos, tornando-se ícones culturais e até mesmo objetos de consumo de massa. No programa Sala de Professor, convidados das disciplinas de Matemática e Biologia apresentam um projeto que aprofunda os conhecimentos sobre o DNA.

  • Assista a esse documentário no site da TV Escola

  • Assista ao 22º episódio do Sala de Professor

  • Baixe a Ficha Pedagógica do 22º episódio

Mais de 500 anos separam dois diagramas que alteraram a percepção sobre o ser humano, seu lugar no mundo e seu funcionamento.

Foram necessários séculos de estudos e descobertas para se chegar até duas maneiras de enxergar o homem em toda sua complexidade. O Homem Vitruviano, de Leonardo da Vinci, e o modelo tridimensional da estrutura em dupla hélice do DNA são conhecidos diagramas que ajudam a entender o ser humano. O primeiro, criado em 1490, representa o símbolo máximo do homem naquele período, enquanto o segundo, desenvolvido no século 20, é a transcrição do código da vida.

As proporções formadas por medidas das partes do corpo do Homem Vitruviano – construídas a partir do estudo de arquitetura legado por Marcos Vitrúvio Polião, romano que viveu no século I a.C. – constituem um conjunto de padrões matemáticos macroscópicos.
Por outro lado, no universo microscópico, encontram-se na estrutura do DNA as bases moleculares e os mecanismos pelos quais são possíveis a manutenção das espécies.

Trabalhando com uma artista plástica, cientistas conseguiram revelar ao mundo como a vida se perpetua no nível celular. A descoberta do código genético continua a revolucionar a ciência

Os biólogos moleculares James Watson (1928) e Francis Crick (1916-2004) propuseram a estrutura do DNA em 1953. Trabalhando em colaboração com Maurice Wilkins (1916-2004) e utilizando as fotografias obtidas por difração de raios-X feitas por Rosalind Franklin (1920-1958), foi possível propor o modelo da dupla hélice utilizado até hoje. O desenho e o modelo tridimensional do DNA foi desenvolvido por Odile Crick, esposa de Francis. O DNA é formado por um esqueleto de fosfato e açúcar que sustenta duas fitas, formadas pelas bases nitrogenadas de adenina, timina, citosina e guanina.

O processo de transmissão de informações hereditárias se dá por meio de um complexo procedimento de cópia.

Os RNAs produzidos são de três tipos: RNA mensageiro (RNAm), RNA ribossômico (RNAr) e RNA transportador (RNAt). Esses três tipos de RNAs estão envolvidos no processo de tradução gênica.

Este é um processo bastante complexo que envolve os três tipos de RNAs. Aqui, novamente, não há transformação química, mas um processo de decodificação do RNAm. Assim, o RNAm é aquele que carrega o código para a síntese de proteínas. Esse código está baseado em códons, isto é, trincas de bases nitrogenadas.

Cada trinca é um código para um certo aminoácido. Contamos com 64 trincas diferentes que codificam para os 20 aminoácidos presentes em seres vivos. Dentre essas trincas há algumas que não codificam para aminoácidos, mas que indicam o início e a finalização do processo de tradução.



O cálculo de probabilidade é um instrumento indispensável para se fazer prognósticos e se projetar as chances de ocorrência de um fenômeno

O estudo da tabela de código genético está ligado com cálculos matemáticos. Ao lançar um dado de quatro lados (ou tetraédrico) uma única vez são quatro as possibilidades de resultados. Lançando-o duas vezes, são 4x4 = 16 possibilidades diferentes para as sequências numéricas que poderão ser formadas (11, 12, 13, 14, 21, 22, 23 etc.)

Em três lançamentos consecutivos, serão 4x4x4 = 64 possíveis sequências numéricas diferentes (111, 112, 113, ....212 ...323 .....444). Compreendido o cálculo do total de possibilidades em n lançamentos sucessivos, o próximo passo poderá compreender o cálculo da probabilidade de ocorrência de um resultado desejado. Por exemplo, a probabilidade

de que ocorra a sequência (1,1,1) em três lançamentos é igual a 1/64, enquanto a probabilidade de que ocorram três faces iguais é 4/64 ou 1/16.

Atividade de Biologia e da Matemática sugere exercícios de probabilidade para determinar as possibilidades de transmissão de certas características hereditárias, inclusive a mutação